A Levante traz as melhores ideias de investimento

Aprenda a planejar a aposentadoria

Compartilhe

Você já deve estar cansado de ver na TV e na internet notícias sobre a reforma da previdência. Pois é. Como a previdência social brasileira há alguns anos vive uma situação muito delicada, você precisa se programar desde já para não depender dela. Assim, é preciso aprender a planejar a aposentadoria.

A primeira regra aqui é clara: quanto mais cedo você começar a investir na sua aposentadoria, maior será a renda que terá lá na frente.

Afinal, você quer ficar na fila do banco esperando para sacar a merreca que vai sobrar pra você ou prefere estar viajando pelo mundo ou curtindo os netos?

Optar pelos planos dos bancos é uma opção cômoda, mas não muito rentável, já que as taxas de administração geralmente são muito altas e acabam comendo as rentabilidades.

Se você não quer arcar com isso, prepare-se para colocar a mão na massa e começar a gerir os seus recursos da melhor forma.

 

Estabeleça objetivos

Para começar, o primeiro passo é estabelecer metas. Quanto você quer acumular e em quanto tempo?

Se você quer uma renda complementar de R$ 3 mil, por exemplo, é razoável considerar aplicações que paguem ao menos 0,5% ao mês, já descontando as taxas. Com isso, a meta é alcançar um total de R$ 600 mil.

Assim, poupando R$ 300 por mês durante 30 anos, você chegará ao valor desejado.

E lembre-se: quanto mais longe da aposentadoria você estiver, menos terá de aplicar mensalmente.

Conheça algumas opções

Com taxas baixas de administração, o Tesouro Direto é uma das melhores opções para o pequeno investidor. Afinal, o que você prefere: pagar 4% de taxa em um fundo de previdência privada ou 0,1% de comissão no Tesouro?

No caso do Tesouro IPCA, que paga a inflação mais um prêmio em juros, os vencimentos chegam a ser até em 2050, um prazo compatível com quem está pensando em aposentadoria.

Lembre-se sempre de escolher o título que mais casa com o seu objetivo, mas é aconselhável que você procure diversificar também os prazos de vencimentos.

Ah, e não podemos esquecer de considerar o investimento em ações. O percentual que será aplicado em renda variável vai depender do perfil de risco que você tem e de quanto tempo você tem até a sua aposentadoria.

Se você é conservador, ter cerca de 10% em ações é uma quantidade razoável.

Lembre-se sempre que é preciso ter uma disciplina maior para aplicar todo mês se você optar por se preparar sozinho para a aposentadoria.

 

Depois de aprender a planejar a aposentadoria, conte sempre com a Levante para aprender a investir de forma simples e descomplicada! Curta nossas páginas nas redes sociais e fique ligado nas nossas novidades.

Bons investimentos!

Compartilhe

Recomendado para você

Não há luz no fim do túnel da política

Em um momento político tão conturbado, é natural que algumas perguntas fiquem sem respostas. Ou melhor, é natural que muitas perguntas fiquem sem respostas na política…

Aposte no alfa

Na última terça-feira (15 de maio), eu participei do décimo primeiro Congresso de Value Investing Brasil (ViB), com a presença de importantes gestores de fundos de investimento. O evento foi organizado pela Value Investing Brasil…

Fechar Menu

Receba agora nossos Relatórios Exclusivos

Fechar Painel