Nosso comportamento nos investimentos repete atitudes do nosso dia a dia. Por esse motivo, o “efeito manada” pode estar te levando a tomar atitudes que nem sempre são as melhores para o seu dinheiro. Pensando nisso, queremos te dar 4 dicas de finanças pessoais para que você possa fugir das armadilhas. Vamos lá?

Antes de te falar propriamente quais são as 4 dicas de finanças, vamos começar explicando o que é o "efeito manada" e como ele influencia no comportamento das pessoas.

 

Veja também: Como declarar investimentos no imposto de renda 2018
- Quais são as melhores opções de investimentos para o curto prazo?
- Evite os 5 maiores erros dos investidores

O que é o “efeito manada” e por que seguir as 4 dicas de finanças pessoais?

Você deve ter reparado, por exemplo, no aumento do número de carros brancos circulando nas cidades. Há tempos, a cor era exclusividade de táxis, mas passou a ser a escolha dos apaixonados por carro após as montadoras de luxo exibirem esta cor no salão do automóvel em 2010. Por sinal, a tendência agora é o cinza (#ficaadica).

Talvez você já tenha entrado para o bolão da Mega-Sena do escritório apenas pelo medo de todos ganharem e você ficar de fora, sozinho e sem grana. Certamente você já escolheu entrar em algum restaurante unicamente por ele estar cheio, sendo que ao lado, havia um restaurante aparentemente semelhante, mas vazio.

Esse comportamento é chamado pelos estudiosos de economia comportamental como “efeito manada”. O termo vem do comportamento animal, já que um grupo de animais da mesma espécie vive, alimenta-se e desloca-se junto. Eles seguem um padrão de comportamento único. Um antílope, por exemplo, foge do predador e o grupo inteiro corre para a mesma direção.

Animais ou humanos, vivemos sob influência do grupo. Em finanças, esse efeito é bastante comum. Por exemplo, investidores aplicam em ações que estão subindo “para não ficar de fora”. Esse comportamento é responsável por algumas bolhas e pode inclusive decretar falência de instituições.

A crise econômica de 1929 começou após uma febre de consumo e euforia econômica, com inúmeras pessoas investindo em ações. Seguida pela consequência desta mesma euforia, as empresas passaram a não conseguir repassar o crescimento da oferta de seus produtos e inúmeras indústrias faliram. A bolsa de valores também quebrou, pois só haviam vendedores, e não mais compradores.

Alguns já dizem que bitcoin e as demais criptomoedas estão em direção a este efeito. Se de fato isso vai acontecer, ainda não é possível afirmar. Mas basta dizer que existem mais de 1 milhão de brasileiros investindo nas moedas virtuais, contra pouco mais de 500 mil CPFs investindo em ações.

Por esse motivo, tenho 4 dicas de finanças pessoais para que você evite cair nesta armadilha do “efeito manada”.

1) Estabeleça seus próprios objetivos e esteja focado neles

Não importa se a grama do vizinho parece estar mais verde, desde que você esteja usando seu quintal da forma que você gostaria de usar. Tenha sempre em vista qual é o seu perfil de investidor, os seus objetivos e prazos de investimentos.

Não adianta nada investir em ações se você tem um perfil conservador e não aceita oscilações com o seu dinheiro. Da mesma forma, se você tiver um perfil mais agressivo, não vai conseguir ter ganhos expressivos e mais rápidos se estiver colocando o seu dinheiro em renda fixa, ok?!

2) Evite tomar decisões de impulso

Pondere as possibilidades antes de tomar qualquer decisão. O calor da emoção (seja de alegria ou de tristeza) nos faz não avaliar corretamente nossas escolhas. Tente ser o mais frio e racional possível ao escolher um investimento, afinal, é o seu dinheiro, seus sonhos e o seu futuro que estão em jogo.

3) Esteja atendo a todas as informações ao seu redor

Receber uma informação e saber fazer um bom uso dela é fundamental para ancorar suas decisões em bons fundamentos.

O exemplo tradicional para este caso é a história (ou lenda) do bilionário John Rockefeller, que fugiu do “efeito manada” e vendeu todas as suas ações antes da crise de 29, citada ali acima, após conversar com seu engraxate que lhe deu dicas de investimento. “Se o menino que lustra seus sapatos sabe tudo sobre o mercado, então algo muito errado está acontecendo”.

4) Procure um profissional que te auxilie

Se a dor de dente está te incomodando, vá a um dentista. Se seu carro está fazendo barulho, vá ao mecânico. Se sente pontadas no coração, vá ao médico cardiologista.

Cada área tem seu profissional. São pessoas que estudam anos e são focadas no que fazem. Para investimentos, não deveria ser diferente. Evite confiar em informações de fontes não-confiáveis compartilhadas em redes sociais ou naquele almoço de família. Não coloque seu dinheiro em algo que foi recomendado por alguém que não é da área.

- Como investir com pouco dinheiro?
- Aprenda a planejar a aposentadoria
- Entenda o que é o Tesouro Direto

Compreender nosso comportamento e antecipar nossas falhas nos ajudam a não repeti-las. Por esse motivo, é fundamental que você evite o “efeito manada” com as 4 dicas de finanças pessoais que apresentamos neste artigo. Caso tenha ficado com alguma dúvida, fique à vontade para nos enviar um e-mail para o endereço conteudo@levante.com.br.

Bons investimentos!

Compartilhe esse conteúdo

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Fechar Menu

Receba agora nossos Relatórios Exclusivos

Fechar Painel